Imprimir esta página

ENXERTADOS

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)
Sejam bem vindos a Koinonia do mês de outubro. Nela vamos melhor compreender o real valor e sentido da vida por meio da fé. Veremos que a vida é um presente de Deus e que por consequência do pecado esse presente foi “danificado”, e que pela fé na Graça de Deus em Cristo Jesus a vida pode ser restaurada alterando definitivamente o nosso presente e futuro. Estão preparados para essa profunda imersão na graça de Deus?

O que é a vida?

Ao longo da minha vida, ao perguntar as pessoas sobre o que elas tinham por definição sobre o que é a vida, ouvi inúmeras e diferentes respostas; entre elas, três curiosas e com pontos relevantes e alguns desses até preocupantes. Observe: - “A vida é confiar em mim mesmo, e sem medo enfrentar todos os meus desafios sempre em busca da felicidade.” Vamos a próxima: - “A vida é uma grande aventura, e o meu conselho a todos que ainda estão no mundo dos vivos é que vivam intensamente, amem, sintam, riam, brinquem, chorem sem medo de perder ou de ganhar, você pode até tropeçar e cair mas levante-se rapidamente e comece tudo de novo.” Vamos seguir para a última de hoje: - “Pra mim a vida é um sopro, passa rápido. Por essa razão sugiro que você aproveite cada momento, viva o melhor possível sem se preocupar com o amanhã.”

Alguém pode apontar pra gente, quais as verdades e quais as mentiras e se há algum perigo contido nessas definições?


O que a Bíblia diz sobre a vida?

A vida é um dom, um presente precioso dado pelo próprio Deus o criador. (Gênesis 1.26 (a)) Então disse Deus: "Façamos o homem à, nossa imagem, con­for­me a nossa semelhança. (27) Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. (28(a)) Deus os abençoou e lhes disse: "Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e subjuguem a terra! Dominem...”. Na criação, Deus nos abençoou para que tivéssemos uma vida plena e eterna, ou seja, não fomos criados para a morte, mas sim para desfrutar para sempre a vida. No projeto inicial de Deus, todos deveriam viver para sempre e em segurança, vivendo em seu próprio jardim abençoado. Neste local, seriamos para sempre supridos de todos os recursos necessários para uma vida repleta de alegria e paz. No plano divino, todas as tardes teríamos um encontro com o próprio Deus, seria uma longa, prazerosa e proveitosa conversa onde desfrutaríamos do seu mais profundo e verdadeiro amor. (Gênesis 3.8 (a)) “Ao cair da tarde daquele dia ouviram a voz e os passos do SENHOR Deus que passeava pelo jardim, e esconderam-se entre as árvores.”. Que vida linda e maravilhosa teríamos não é mesmo? Nos planos de Deus viveríamos para todo o sempre integralmente sustentados por Ele por meio dos recursos naturais da obra da sua criação, mas infelizmente, esse plano não agradou o suficientemente os pais da humanidade; então, eles passaram a desejar algo diferente, até que em um certo dia, a serpente percebendo o possível interesse de Eva pelo fruto que Deus exigiu que fosse renunciado pelo casal, o maligno com grande astucia logo desfere o seu veneno de ilusão e engano contra a obra prima da criação divina, e assim a mulher foi enganada, (2º Coríntios 11.3 (a)) “Entretanto, receio que, assim como a serpente enganou Eva com sua astúcia.” (Gênesis 3.5) “disse a serpente” Deus sabe que, no dia em que do fruto comerem, seus olhos se abrirão assim com os de Deus”; Eva avança os limites da honra e da obediência estabelecidos pelo próprio Deus, e logo depois, Adão ao decidir acompanhar a sua esposa, comete o mesmo erro, ele desonra a Deus, desobedecendo a Sua ordem e como consequência do pecado, a vida passou a conviver com a certeza da morte; à morte física, emocional e espiritual, e agora "toda criação geme e suporta angústias até agora" (Romanos 8.22).


Meditando na Koinonia

Na leitura dos próximos versículos, convido a todos a observar com atenção e compartilhar sobre quais foram os principais pontos de fraqueza ou tentação determinantes para o comprometimento do plano de vida original de Deus para a vida da humanidade.

(Gênesis 3.6) “Quando a mulher viu que a árvore parecia agradável ao paladar, era atraente aos olhos e, além disso, desejável para dela se obter discernimento, tomou do seu fruto, comeu-o e o deu a seu marido, que comeu também. (7) Os olhos dos dois se abriram, e perceberam que estavam nus; então juntaram folhas de figueira para cobrir-se.” 


O valor da vida

Por sermos a semente de Adão, herdamos dele uma natureza pecaminosa e esse é o motivo pelo qual desde o nosso nascimento nos encontrávamos separados de Deus, (Romanos 3.23) “Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.” A nossa natureza caída, tendenciosa ao pecado e por sua vez sentenciada a morte, nos torna incapazes de transformar essa triste condição diante de Deus, aliás essa natureza caída nos prejudica inclusive de fazer ou praticar o bem, (Romanos 7.18) “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim, mas não o realizá-lo. (19) Porque não faço o bem que eu quero, mas o mal que não quero, esse faço. (20) Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.” A única maneira de sermos perdoados e transformados e então vencermos a morte é por meio da fé na Graça de Deus em Cristo Jesus o Senhor. (Romanos 6.23) “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor.”

Vamos agora relembrar o que fez de Jesus humano diferente de nós os filhos de Adão e Eva, para que por meio D´Ele fossemos perdoados e regenerado.

Gabriel diz a Maria: “Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra...” (Lucas 1:35). Ao encorajar a José a se casar com Maria, o anjo informa-o que: “o que nela está gerado é do Espírito Santo” (Mateus 1:20). Vejamos também Gálatas 4:4 que entre tantos textos somos ensinados sobre o nascimento virginal de Jesus. “Deus enviou seu Filho, nascido de mulher.” Resumindo, Jesus não é a semente de Adão. O nascimento de Jesus foi resultado da atuação do Espírito Santo dentro do corpo de Maria. A Bíblia Sagrada nos ensina que Jesus foi totalmente humano, esse corpo físico ele recebeu de Maria mas ao mesmo tempo, Jesus era totalmente Deus, com uma natureza eterna e sem pecado. (Hebreus 7.6) “É de um sumo sacerdote como este que precisávamos: santo, inculpável, puro, separado dos pecadores, exaltado acima dos céus.” O fato de Jesus ter nascido de uma virgem frustrou a transmissão da natureza pecaminosa permitindo que ele se tornasse um homem perfeito, sem a semente do pecado. (Romanos 5.12, 17-19) “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram; Se pela transgressão de um só a morte reinou por meio dele, muito mais aqueles que recebem de Deus a imensa provisão da graça e a dádiva da justiça reinarão em vida por meio de um único homem, Jesus Cristo. Consequentemente, assim como uma só transgressão resultou na condenação de todos os homens, assim também um só ato de justiça resultou na justificação que traz vida a todos os homens. Logo, assim como por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores, assim também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos.” Jesus não é a semente de Adão assim como eu e você, porem Ele jamais pecou (1 Pedro 2.22) “Ele não cometeu pecado algum, nem qualquer engano foi encontrado em sua boca.” Seu objetivo de vida foi consumado. Jesus se ofereceu a Deus Pai como sacrifício definitivo, vivo, santo e agradável para que por meio desde sacrifício, eu e você fossemos perdoados e esse perdão definitivo nos deu novamente o acesso do relacionamento com Deus. Cristo também ressuscitou dentre os mortos consolidando a nossa salvação, o resgate na nova vida. O preço foi pago, somos livres do pecado, estamos legitimados a viver por meio de Cristo a vida plena em abundância. Aleluia. (Hebreus 10.10) E foi porque Jesus Cristo executou a vontade de Deus, oferecendo uma só vez o seu próprio corpo em sacrifício, que nós somos limpos do pecado. (11) Segundo a antiga aliança, os sacerdotes iam todos os dias executar, muitas vezes, os mesmos sacrifícios que nunca podiam apagar os pecados. (12) Mas Cristo, tendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, válido para sempre, está sentado no lugar de maior honra, à direita de Deus, (13) onde espera até que ponha os seus inimigos debaixo dos seus pés. (14) Por meio daquela única oferta da sua própria vida, Cristo tornou perfeitos para sempre aqueles que são santificados.


A Fonte da Vida

Certo dia, no encontro de Jesus com uma personagem real citada na Bíblia Sagrada como a Mulher Samaritana, o nosso Senhor deixou clara a informação de que Ele é a única fonte da vida, e que assim como o corpo humano não sobrevive sem a água, Jesus afirmou que se alguém deseja ter uma abençoada vida e a vida em abundância, essa pessoa necessariamente tem que beber D´Ele, caso contrário o objetivo dessa pessoa estará frustrado.  (João 7.38) “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. (38) E rios de água viva correrão do coração de quem crer em mim.” Jesus ainda afirmou que qualquer outra improvável fonte de vida que não seja Ele mesmo, será insuficiente para saciar as sedes desta vida e de dar a convicção da vida eterna. (João 4.13) Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede. Por essa razão precisamos ensinar as pessoas a não perder tempo atrás de fontes erradas e ineficazes, precisamos ensiná-las a ter cuidado com as distrações dessa vida, elas colocam as pessoas em risco. (João 4.14) “Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.” Aleluia, que poder glorioso. De sedentos de vida, após bebermos de Cristo somos transformados em fonte de vida.

Já aprendemos que a vida é um presente de Deus e que por consequência do pecado esse presente foi “danificado” e que nada poderíamos fazer para mudar essa triste realidade. Aprendemos que mediante a fé na Graça de Deus em Cristo Jesus é que a vida pode ser restaurada, e uma vez restaurada, nos tornamos fonte de vida para todos ao nosso redor.

A palavra de Deus é clara em afirmar que não temos vida em nós mesmos, ou seja, a nossa vida vem de Cristo, quando bebemos dessa fonte, ela começa a jorrar em nosso interior, quando estamos ligados nele logo daremos frutos segundo de qualidade. Veja o que Ele diz: "Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que, estando em mim, não dá fruto, ele corta; e todo que dá fruto ele poda, para que dê mais fruto ainda. Jesus é a fonte de vida, Ele é a videira e o Deus pai é quem trabalha cuidando de todos os ramos. Nós somos esses ramos ligados a videira que é Cristo. O texto diz que passaremos pelo corte ou pela poda, ou seja, de uma maneira ou de outra seremos tratados por Deus. O corte se dá aos ramos secos, improdutivos que só danificam e prejudicam a vida nos demais ramos da videira, por essa razão Deus tem prazer em cortar tudo aquilo que te suga, aquilo que prejudica o crescimento de todos que te cercam, aquilo que esta improdutivo em sua vida. Deus está cortando e lançando fora de uma vez por todas. Já a poda acontece na vida de quem já produz, de que não prejudica sugando improdutivamente a vida dos demais ramos da videira, ou seja, Deus poda quem produz para que possam produzir ainda mais, Deus conhece o teu verdadeiro potencial, e por isso ele poda todas as coisas que teimam a te limitar, que prejudica o seu nível de produção, Deus te conhece muito bem, Ele sabe que você pode gerar muito mais do que já gerou em benefício de seu Reino.

Concluo afirmando que vocês já estão limpos, pela palavra que lhes tenho falado. Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês diz o Senhor Jesus. Não se esqueça que “nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em Jesus. Ele disse: "Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma. Se alguém não permanecer em mim, será como o ramo que é jogado fora e seca. Tais ramos são apanhados, lançados ao fogo e queimados. (João 15:1-6). Permaneçamos na fé e na Graça ligados na videira, bebendo continuamente da fonte, produzindo os melhores frutos para a glória de Deus Pai.

 

Lido 2865 vezes